7.4.09

Sobre algumas coisas

 Fiquei pensando nesses últimos dias nesse post e não conseguiria parar de pensar nele se não fizesse o meu. 

 1_ A primeira pessoa a qual me apaixonei durou pouco mais de dois meses, morávamos em cidades diferentes, dificultando o contato, tinha conhecido ela na praia, um amor de verão, certa vez estávamos sozinhos na casa de uma tia minha e beijavamos no sofá quando ela tirou a parte de cima da blusa e aquilo foi como algo explodindo dentro de mim, ela estava pronta pra se entregar até que eu, a recusei, por achar que estava com alguma doença (algo que pus na mente), queria proteger ela e preferi que não acontecesse, demos uns amassos, fechamos a casa e saimos ainda com os corpos abafados, mesmo sem transarmos ela sorria pra mim na rua e aquela é das poucas imagens que tenho dela na mente... pouco tempo depois ela acabava comigo e voltará com seu ex-namorado a qual  engravidou pouco tempo depois, as vezes penso que o que aconteceu naquela tarde mudou todo o rumo da minha vida.

 2_Meu melhor amigo quando muleque era meu primo e vizinho e apesar de não ter tanto contato com ele hoje, o prezo como irmão, lembro-me de uma festa de são joão onde os "adultos" não deixavam crianças pegarem os rojões (por motivos óbvios) resolvemos então roubar um, após aquela piscadela confirmando o furto, entramos para o quintal da casa dele e resolvemos acender o rojão, eu como mais velho requeri o direito de segurar e ele de acender, tudo pronto ele riscou o fósforo e acendeu o pavio, levantei o rojão e fechei os olhos, quando o rojão estourou ele foi na direção contrária e acertou a uns cinco centimetros do meu pé, ficamos estáticos sob o acontecido, saimos do quintal sem dizer nada, viramos um para o outro com a certeza estampada nos olhos de que aquilo foi algo errado.

 3_Eu chorei quando vi Forrest Gump pela primeira vez.   

 4_ Meu pai faleceu quando eu estava pra fazer um ano, nunca senti falta mesmo, tirando os dias dos pais a qual ficava um pouco triste sempre achei que pude escolher minhas referências paternas, como que retirando um pouco dos meus tios e dos pais de colegas. Descubri que não havia a falta do meu pai ali, porque de alguma forma ele estavá lá, não estou falando espiritualmente ou religiosamente,  mas sociologicamente, as pessoas que ele convivia, conversava, se entretia, estavam ali, ele era parte daquilo, como agora eu sou. 

 5_Certa vez disse a uma garota que queria ficar com ela e mesmo com nosso histórico de mágoas ia dar tudo certo dali pra frente, a convidei pra ir comigo a um tributo ao Tim maia, cara que prezo pacaralho, quando em casa ela me liga e diz que está tudo acabado, está com outro e vão ao tributo do Tim; "PUTAQUEOPARIU" pensei na hora, até o Tim maia tinha me traido.

 6_Já escrevi um livro, passei boa parte do ano de 2005 redjindo um texto cheio de referências pops numa narrativa "maldita" alá Bukowski, quando aposentei meu processador foi junto ao hd o texto, nunca procurei recupera-lo, hoje penso como aquilo tudo foi uma merda de desperdicio de tempo. Ainda não desisti de um dia escrever um livro, mas definitivamente não aquele.




(diga não as correntes)

Um comentário:

almir disse...

eh... boa historia...conseguiu passar verdade nela... boa historia.